Aposta na prevenção da criminalidade

Câmara, Gaiurb e Universidade Fernando Pessoa querem Gaia mais segura
20-01-2016

O Município de Gaia, a Gaiurb – Urbanismo e Habitação, EM e a Universidade Fernando Pessoa uniram sinergias para o desenvolvimento de respostas preventivas da criminalidade, de situações de violência pública e privada, junto da comunidade residente no parque habitacional social.

O protocolo de colaboração celebrado entre as três entidades já se encontra em execução, pressupõe a partilha de conhecimentos e de intervenções e visa encontrar soluções adequadas para tornar Gaia um município mais seguro.

Trata-se de um desiderato da Câmara de Gaia, no que respeita ao fortalecimento das relações com as universidades, cujo virtuosismo assenta no cruzamento da investigação científica desenvolvida pela Fernando Pessoa e o trabalho empírico encetado pela Gaiurb.

“Tentamos que este protocolo venha a materializar um trabalho de caráter mais concetual, de abordagem teórica sobre questões que se colocam no dia a dia, quer nas relações da empresa municipal no âmbito das intervenções nos empreendimentos sociais e junto das populações que neles habitam, quer com as problemáticas da violência e criminologia”, salientou Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara de Gaia.

O desenvolvimento do trabalho conjunto assenta, em primeiro lugar, num levantamento efetivo das situações que, no campo de atuação da Gaiurb e da Câmara Municipal, possam representar situações de violência, pública ou privada, doméstica.

Depois, segundo Salvato Trigo, reitor da Universidade Fernando Pessoa, “caracterizar essas situações, aferir das causas inerentes a cada uma, analisar na perspetiva de uma intervenção precoce e preventiva da atuação das autoridades policiais que, normalmente, acontece depois de o crime ter acontecido”.

Paralelamente, “fornecer à Gaiurb instrumentos de trabalho que possam ajudar o setor de ação social a trabalhar melhor no terreno e conhecer melhor as realidades dos agregados familiares”, acrescentou.

“Fazemos perguntas e tentamos encontrar respostas que parecem adequadas para tornar Gaia um município mais seguro e com maior promoção cultural das pessoas, pois a maior parte dos crimes estão associados a défices culturais”.

O aproveitamento das potencialidades humanas, científicas e técnicas dos parceiros vai permitir, também, o desenvolvimento de eventos públicos subordinados às problemáticas da criminologia.

Segundo Israel Oliveira, administrador da Gaiurb, o contributo da empresa municipal incide, também, numa “intervenção próativa e empenhada para o desenvolvimento de vários eventos académicos, seminários e conferências que visem aprofundar estas temáticas”. No final, será publicada uma obra sobre este trabalho que, objetivamente, “aproveita muito dos problemas identificados no dia a dia da empresa municipal, junto das famílias residentes nos empreendimentos sociais”.

Etiquetas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *