fbpx

Gaia quer ser “nova Babel do desenvolvimento sustentável”

Gaia quer ser “nova Babel do desenvolvimento sustentável”

O cambojano Leng Ouch, vencedor do Goldman Prize 2016, considerados os prémios “Nobel” do ambiente, e o britânico Geoffrey Lan, apontado como o mais consagrado jornalista em assuntos ambientais, são alguns dos 230 participantes esperados, desde especialistas, a músicos, artistas, ativistas e conferencistas de 20 países que, ao longo de quatro dias, irão debater e abordar as alterações climáticas e o desenvolvimento sustentável.

Vila Nove de Gaia

Vila Nove de Gaia

A estes juntar-se-ão personalidades como Filipe Duarte Santos, presidente do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Robert Hall, presidente da Ecolise – European Network for Community-Led Initiatives on Climate Change and Sustainability, e Gil Penha Lopes, investigador.

Somam-se artistas e pensadores que têm a missão de “provocar e sensibilizar o público, através de vários meios de expressão, para a necessidade urgente de encarar as alterações climáticas como um problema não do futuro mas já do presente”.

“Muitos outros juntarão a sua voz e experiência ao fórum internacional, dando a conhecer projetos, ideias e formas diferentes de pensar e agir para a sociedade iniciar o processo de transição necessário para enfrentar os desafios dos próximos tempos”, descreve a organização.

De acordo com os dados divulgados, que citam a Agência Europeia do Ambiente, o sul da Europa vai ser uma das regiões mais atingidas pelas mudanças do clima.

Já a norte-americana NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica), também citada, considera “plausível” um aumento do nível das águas de dois a três metros até 2100.

 

O fórum internacional “Gaia todo um Mundo” inclui também arte, cultura, ciência e política, desenvolvendo-se através de áreas como a música, o “pensar”, a dança, rota de marionetas e zona dedicada à gastronomia.

O evento é “sinónimo de uma reflexão que se divide entre o contributo intelectual e a mundividência urbana, numa estreita relação com a comunidade local”, acrescenta a organização.

Além do Convento de Corpus Christi, as Caves de Vinho do Porto, o Armazém 22, o Zé da Micha, e as ruas circundantes serão “palco” do debate e da reflexão sobre o futuro e a sustentabilidade.

Na apresentação do evento que decorreu no Convento Corpus Christi, epicentro do fórum, o presidente da câmara, Eduardo Vítor Rodrigues, revelou a vontade de tornar o evento “regular”, reavivando a “função cosmopolita” do centro histórico de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto.

 Fonte: RTP

Leave a Comment